quarta-feira, 25 de junho de 2008

A Inteligência Infinita Atuando para a Realização

Continuando com Napoleon Hill, há uma questão que é muito importante: a Inteligência Infinita. Através da auto-sugestão registramos em nosso subconsciente a descrição ou plano do que desejamos criar ou adquirir de forma física. Segundo Hill, o subconsciente é o intermediário entre o pensamento consciente e a inteligência infinita e podemos invocar o auxilio desta última, apenas por meio daquele, dando-lhe claras instruções do que queremos. Ele acrescenta que, aqui neste ponto, nos tornamos familiares com a razão psicológica, para um objetivo principal definido.
"O subconsciente aceita e age sobre todas as sugestões que lhes são apresentadas, sejam elas construtivas ou destrutivas. Por isso é importante saber, cuidadosamente, o que se quer passar para o subconsciente, através da auto-sugestão".
Segundo Napoleon Hill, a inteligência infinita é quem vai desenvolver o esboço de seu objetivo, numa forma física. A inteligência infinita não trabalha por meio de nenhum dos sentidos e não podemos invocar seu auxilio através de nenhum deles. A ela cabe abrir o caminho e prover os meios necessários, para a realização do desejo e apontar a maneira de proceder em todas as circunstâncias.
Então, as quatro partes indispensáveis para alcançar o sucesso de seus projetos, conhecimento ou saber são: a auto-sugestão; o subconsciente; o pensamento criador e a inteligência infinita. As três primeiras estão sob seu controle, diz Hill, e tudo dependerá da maneira como você os emprega, pois eles convergirão para o quarto fator, que é a inteligência infinita.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails