quarta-feira, 20 de maio de 2015

Friburgo, protesto e maquiagem


Desculpem a minha falta de informação, mas queria saber que obra milionária é essa a ser realizada na praça Getúlio Vargas? O projeto é do IPHAN e da Prefeitura, mas qual é a concepção? A prefeitura tem dinheiro pra isso? Não é novidade que Friburgo tem a péssima tradição de derrubar, seja lá o que for que "atravanque" um possível progresso que nunca conseguiu alcançar. Aqui não há museus ou qualquer lugar que conte sua história, porque ela se montou num castelo de cartas suíças, que já caíram junto com teatros, cinemas, casas, entre outras coisas que poderiam indicar essas relíquias. Pelo visto, mais um patrimônio, dessa vez vivo, vai tombar, mas é ao chão, como o eucalipto de 50 metros que ficou fadado à morte anunciada pelo desleixo de anos a fio sem ser visto e olha que a altura era significativa, não? Pois é, fica dito e o redito por não dito.
Agora, para acertar a Saúde de Nova Friburgo e dar suporte à população que está à míngua nesse setor, não há dinheiro! O quê se pensa nesse momento em que há gente correndo risco de morte por falta de atendimento descente? Não dá pra entender aonde se quer chegar! Cadê os médicos dessa cidade? Cadê?! Há muitas lutas a serem enfrentadas, sem o luto do baque que é ter que enfrentar as madrugadas frias e hoje perigosas, sem chegar à senha e ter que voltar e voltar e voltar, pra não ser atendido de novo e de novo. Postos de Saúde e hospital que não têm remédio. A cidade que se maquia para inglês ver, não se vê.

terça-feira, 12 de maio de 2015

Vídeo com sons de pássaros e cachoeira para insones.



Para aqueles que sofrem de insônia como eu, aqui vai um vídeo com sons de pássaros e cachoeira, de Johnny Lawson, um artista visual irlandês, que filmou o rio Bonet, no condado de Leitrim, na Irlanda, durante 8 horas. Isso tem ajudado a várias pessoas mundo a fora. O vídeo, que já teve mais de 7 milhões de visualizações, agora é parte de uma pesquisa científica e está sendo utilizado em vários hospitais de Londres, a fim de ajudar àqueles que têm dificuldade para dormir.

quinta-feira, 30 de abril de 2015

A vida e seu destino

Ninguém sabe que tipo de vida alguém viverá, nem que tipo de situação extrema virá em sua direção. Pode ser que seja leve, mas, para muitos, a vida não é fácil desde o seu começo. Ao olhar um desconhecido, é possível ver em seu rosto as marcas que ela, a vida, trouxe, mas não se conhece as mazelas pelas quais passou. Às vezes, o gosto amargo da vida para aquele que teve de tudo pode parecer irrelevante, mas como julgar, se é que se pode ousar julgar alguém?
Como o destino se acelera para se realizar para o bem ou para o mal de seu dono, pequeno ou grande, rico ou pobre! Ele invade suas dores e alegrias e dá novo rumo a tudo. Ninguém sabe que tipo de vida alguém viverá.

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Eucaliptos derrubados em Friburgo


Algumas questões levantadas sobre o corte ou poda dos eucaliptos da praça Getúlio Vargas, em Nova Friburgo. Vai vendo.

                                              
a) LAUDOS: Embora a Prefeitura Municipal de Nova Friburgo tenha parceria com a Universidade Federal Fluminense - UFF, a mesma buscou parceria com a Universidade Privada Estácio de Sá para adquirir laudos e realizar prognóstico quanto às podas e cortes das árvores centenárias. Entende-se que laudos de diferentes instituições, inclusive a realização de um terceiro laudo por uma Universidade Federal, poderiam ter sido comparados antes da autorização dos trabalhos. Os prognósticos foram extremamente contraditórios, já que enquanto o laudo do IPHAN orienta o corte de aproximadamente 100 árvores, a Universidade Estácio de Sá orienta o corte de 40 árvores. É de se estranhar uma diferença muito dispare, de 60 árvores, entre um laudo e outro. Também foi divulgado que um dos responsáveis pelo laudo é um engenheiro mecânico, não florestal;
b) DERRUBADAS INDISCRIMINADAS: Com a disponibilização de fotos das árvores cortadas ou podadas em redes sociais, imagens veiculadas na mídia e in loco, observada pelo grupo; que qualquer pessoa que passou pelo local teve acesso, verificou-se que muito provavelmente foram feitos cortes e derrubadas indevidas de indivíduos (árvores) saudáveis, como verificado nas fotos em anexo. Grande parte do material e/ou sua totalidade está sendo manufaturado pela Serraria Melodia, já que se observa em bom estado de conservação;
c) ACOMPANHAMENTO TÉCNICO: Em momento algum verificou-se técnicos da instituição que providenciou os laudos técnicos acompanhando o trabalho de cortes, para que, em casos necessários em que fossem observados a não necessidade de cortá-los ou podá-los, mandassem suspender o serviço. Essa cautela é usual em trabalhos desta natureza. Já que se trata de um bem patrimonial. Foi observado que os trabalhos em seu maior tempo, estavam sendo conduzidos pelo proprietário da Serraria Melodia, sem a presença de engenheiros florestas, botânicos, biólogos, historiadores, arquitetos e/ou técnicos da área da conservação;
d) INVENTÁRIO PATRIMONIAL: A Prefeitura de Nova Friburgo não disponibilizou à população até o presente momento qualquer inventário patrimonial natural de cada indivíduo (árvore), muito menos um planejamento aprofundado e detalhes da operação;
e) EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA: Observou-se que os funcionários que executam o serviço de cortes e podas das árvores são operários comuns, da Serraria Melodia, e não estavam utilizando equipamentos de segurança (EPI´s) obrigatórios para a execução do trabalho, bem como observa-se a falta de sinalização devida, cavaletes de informação, devida disposição das motoserras e circulação contida de tratores e caminhões no recinto definido como de segurança;
f) MANEJO FLORESTAL: A Prefeitura de Nova Friburgo desconsiderou com as derrubadas, as questões Afetivas, Históricas e Culturais das árvores centenárias que compõem a Praça Getúlio Vargas. Nessa situação em que poderia haver uma previsão de comoção, era necessário um processo informativo gradual, contínuo e transparente, e com retiradas intercaladas das árvores doentes e replantios;
g) INEXISTÊNCIA DE RECURSOS PARA A REVITALIZAÇÃO: Foi também divulgado que a PMNF não teria verbas para a revitalização da praça, pois teria perdido os recursos do PRODETUR. Não seria o caso então, de fazer um corte médio e poda, deixando o corte raso (caso necessário) para quando a verba chegar?
h) DIÁLOGO, TRANSPARÊNCIA E AUDIÊNCIA PÚBLICA: Outro ponto necessário; trata-se da imediata abertura à discussão por meio de Audiência Pública, a respeito do projeto de revitalização que está sendo proposto, com publicização contínua, detalhada e transparente para que a população possa ter acesso e participar das decisões de um bem patrimonial;
i) PROCESSO DE LICITAÇÃO: Entendemos ser necessário averiguação quanto ao processo de contratação da “Serraria Melodia”, já que, em caso de um trabalho específico, entendemos que a contratada deveria ser uma empresa reconhecidamente com experiência em Manejo Florestal, e que já tenham atuado em projetos patrimoniais

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

O triste destino da Praça Getúlio Vargas em Friburgo


                                      Foto: Osmar Castro

Vamos combinar que muitos dos Eucaliptos centenários da Praça Getúlio Vargas precisavam de um corte, de uma poda, mas fazer isso que a prefeitura de Nova Friburgo está fazendo, é demais, né não?! O que essa praça representava não só para os moradores, mas para os turistas, era (agora é no passado mesmo) o momento de lazer, de muita sombra para o calor que agora está fazendo na cidade. As árvores, tombadas pelo Patrimônio Histórico, desde a década de 70, não tiveram a atenção dos governos que por aqui passaram e, como se fossem invisíveis ou eternas, não receberam o tratamento adequado e os cuidados para que não tivessem esse triste destino. Triste para os amantes dessa que é (era) uma das praças mais lindas do Rio de Janeiro. E agora?! Sei que é obrigatório o replantio de novas árvores, mas daqui a quanto tempo elas darão sombra, beleza e essa exuberância que eles, os eucalíptos davam à essa coisa, agora, sem graça?
Aqui, o invisível é bem comum, tanto para as pessoas, quanto para as coisas. Aqui, a memória histórica é derrubada sempre, assim como os eucalíptos o são. Não tem importância, entende?!

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Síndrome do Coração Partido

Aqui dentro do peito
cruzes são guardadas
e representam cada um dos que se foram.
Um luto por cada um
toma punho de queda,
sem calor algum.
Partes que se revelam pela dor,
pelo que não pode ser desfeito.
por ser irremediável!
Aqui dentro do peito
o caminho que se segue
é desconhecido,
sombrio,
sem fio de luz.
Nesse caminho incerto,
há que ser muito forte para suportá-lo,
pois ele se alimenta do vazio de sentimento,
do vazio de ar,
do vazio de terra e de céu.
A Sindrome do Coração Partido existe
e se imiscui lá dentro
transtornando,
digladiando pra se manter viva.
A tristeza é amarga.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails