quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Em Busca de uma Terra Sem tantos Males

Em busca de uma Terra Sem Tantos Males!

Esse é um texto que vale ser lido. Escrito pelo índio Ailton Krenak, fala do desrespeito com que são tratados os rios que para a tribo Krenak são a alma e a vida de um povo. Os Krenaks hoje choram pelo desastre causado ao Rio Doce com o rompimento da represa de rejeitos da empresa Samarco. Clique no link acima e leia.

sábado, 14 de novembro de 2015

A tristeza é a Imperadora


Uma tristeza ver pra onde caminha o ser humano, sem nenhuma empatia à vida, à natureza e às coisas belas que estão aí tão perto de cada um. É uma dor que não cala, que não para. Todos os dias vê-se o pior que existe dentro de alguns, que destroem muitos. Nos dias atuais a tristeza é a Imperadora.

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Uma explicação da crise dos refugiados




Há que se ter compaixão e empatia por essas pessoas que fogem de uma guerra sem fim.

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

sexta-feira, 24 de julho de 2015

Sesc-Friburgo: desorganização frusta fãs de Gal Costa





Amanhã tem show da cantora Gal Costa, aqui em Friburgo mas, por conta da incompetência e falta de organização do Sesc daqui, eu, que acordei às 6 horas da manhã para entrar na fila e pegar meus ingressos gratuitos, não poderei assistir. Tinha umas 70 pessoas na minha frente quando cheguei, mas a desorganização do Sesc é tamanha, que depois de quase duas horas na fila, faltando umas dez pessoas para eu chegar ao guiché, os bilhetes acabaram. INSS perde, tamanho o grau de insensatez e falta de respeito com o público. Me perguntava: Se sabiam quantos ingressos estavam disponíveis, por que não fizeram uma contagem prévia, para evitar que os as pessoas perdessem o que há de mais precioso, o tempo?! Falta de respeito, falta de respeito e mais falta de respeito! Indignada, saí de lá furiosa, sem ingresso e sem explicação. Não só eu, mas dezenas e dezenas de pessoas ficaram a ver navios daqueles bem ferrados mesmo! O pior é pensar que Gal Costa estará tão perto e eu sem esperança de vê-la cantar. Desgosto, frustração e raiva é tudo o que posso sentir agora.

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Texto folgado

Aquela história que pensei escrever se escondeu de mim. Ah, sacana! Tomou rumo desconhecido e, sem surpresas, malocou-se dentro do arcabouço, sei lá, alguma viga de veia endurecida que desconheço, só pra me deixar intrigada e procurá-la. Não deixou pistas e a caço loucamente dentro de mim. Isso vai levar tempo, portanto, não esperem. Podem ir embora. Sem aquela história nada se concretiza e o tempo ficará à minha mercê. Espero que ela saia, sem que precise me esforçar por ela, trabalhe por ela. Folgada!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails